Atos do Poder Executivo


 

 

 


LEIS


 

 

 

LEI Nº 13.192 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2014

 

Dispõe sobre a criação, transformação e extinção de cargos e funções, a fixação dos vencimentos do quadro de pessoal do Tribunal de Contas, a reestruturação dos órgãos técnicos e administrativos do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, a extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria, o processo eletrônico e dá outras providências.

 

O VICE-GOVERNADOR, NO EXERCÍCIO DO CARGO DE GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, faço saber que a Assembleia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

 

CAPÍTULO I

DOS ÓRGÃOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

 

Art. 1º - A estrutura técnico-administrativa básica do Tribunal de Contas do Estado da Bahia é composta dos seguintes órgãos:

 

I -        Gabinete do Presidente;

 

II -      Gabinete do Vice-Presidente;

 

III -    Gabinete do Corregedor;

 

IV -        Gabinetes dos Conselheiros;

 

V -     Secretaria Geral;

 

VI -        Diretoria Administrativa;

 

VII -      Superintendência Técnica;

 

VIII -         Centro de Planejamento e Estudos Interdisciplinares para o Controle Externo (CEICE);

 

IX -        Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC);

 

X -     Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa (ECPL);

 

XI -        Coordenação de Recursos Humanos;

 

XII -      Assessoria Técnico-Jurídica;

 

XIII -         Auditoria Interna;

 

XIV -   Assessoria de Comunicação;

 

XV -     Ouvidoria;

 

XVI -        Corregedoria;

 

XVII -           Gabinete do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

§ 1º - Os Gabinetes do Presidente, do Vice-Presidente, do Corregedor e dos Conselheiros têm por finalidade prestar assistência aos respectivos Titulares em suas atividades técnicas e administrativas, exercendo as competências relativas ao preparo e encaminhamento do expediente, às informações e procedimentos para o processo decisório dos Colegiados, à coordenação do fluxo de informações e às comunicações dos Gabinetes.

 

§ 2º - Compete à Secretaria Geral o controle dos processos, documentos e informações no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, incluindo aqueles que estiverem em diligência, cumprindo-lhe também proceder à ampla divulgação pública das decisões através do Diário Oficial Eletrônico do Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

§ 3º - Integram a estrutura da Secretaria Geral a Gerência de Controle Processual, a Gerência do Protocolo Geral, a Gerência de Arquivo, a Gerência de Biblioteca e Documentação, a Gerência de Jurisprudência e Informações Processuais e a Secretaria de Plenário com o Serviço de Taquigrafia e o Serviço de Cerimonial, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 4º - Compete à Diretoria Administrativa, na forma que dispuser o Regimento Interno do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, o planejamento, a execução e a avaliação das atividades de administração geral, a contabilidade e a gestão orçamentária, financeira e patrimonial do Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

§ 5º - Integram a estrutura da Diretoria Administrativa a Coordenação de Contabilidade, a Gerência de Orçamento e Finanças Públicas, a Gerência de Liquidação da Despesa, a Gerência de Administração e a Gerência de Preservação Patrimonial, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 6º - Compete à Superintendência Técnica o planejamento, a organização e a avaliação das atividades de controle externo do Tribunal de Contas, a coordenação, a articulação e a integração dos trabalhos de auditoria, bem como a coordenação dos trabalhos do Comitê de Auditoria, órgão consultivo com competências, atribuições e composição definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 7º - Integram a estrutura da Superintendência Técnica as Coordenadorias de Controle Externo, em número de sete, e suas respectivas Gerências de Auditoria no total de vinte e oito, a Gerência de Métodos, Técnicas e Normas para Auditoria e a Gerência de Desenvolvimento da Gestão do Controle Externo, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 8º - Compete ao Centro de Planejamento e Estudos Interdisciplinares para o Controle Externo (CEICE) planejar, fomentar, apoiar e executar projetos e atividades nas áreas de desenvolvimento institucional.

 

§ 9º - Integram a estrutura do Centro de Planejamento e Estudos Interdisciplinares para o Controle Externo (CEICE) a Gerência de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento Institucional e a Gerência de Planejamento Operacional, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 10 - Compete ao Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC) a realização de estudos e pesquisas de novas metodologias e a execução de projetos e atividades nas áreas de tecnologia para o controle externo, e o suporte técnico especializado ao processo auditorial.

 

§ 11 - Integram a estrutura do Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC) a Gerência de Infraestrutura, a Gerência de Desenvolvimento de Sistemas, a Gerência de Informações Estratégicas e Apoio à Auditoria, a Gerência de Serviços e Suporte aos Usuários e a Gerência de Projetos e Modernização, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 12 - Compete à Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa a capacitação de recursos humanos, a educação corporativa e gestão do conhecimento organizacional, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 13 - Compete à Coordenação de Recursos Humanos o controle dos atos e procedimentos inerentes à administração de pessoal do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, incluindo o processamento, o controle e a guarda da documentação de pessoal, e a avaliação de desempenho dos servidores do Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

§ 14 - Integram a estrutura da Coordenação de Recursos Humanos a Gerência de Cadastro, Avaliação e Pagamento de Pessoal e a Gerência de Assistência ao Servidor, cujas competências e atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 15 - Compete à Assessoria Técnico-Jurídica a prestação de assessoramento técnico e jurídico ao Tribunal Pleno, às Câmaras, ao Presidente, ao Vice-Presidente, ao Corregedor, aos Conselheiros e aos órgãos técnicos e administrativos do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, com o auxílio do Assessor Técnico-Jurídico Adjunto da Assessoria Técnico-Jurídica, cujas atribuições serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 16 - À Auditoria Interna, órgão de assessoramento ao Gabinete da Presidência, compete realizar as atividades de auditoria de natureza orçamentária, financeira, patrimonial e operacional no âmbito dos serviços técnicos e administrativos do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, sendo as competências do seu Titular estabelecidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 17 - À Assessoria de Comunicação compete a seleção e divulgação de notícias relativas ao Tribunal de Contas, a colaboração no preparo de matérias para publicação na imprensa oficial ou outros órgãos de imprensa, a produção de material publicitário e o auxílio no desempenho das atividades de relações públicas, sendo as competências do seu Titular estabelecidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 18 - À Ouvidoria compete receber as queixas formuladas pelos cidadãos, sociedade civil e jurisdicionados, orientar e acompanhar o ingresso das Denúncias e Representações perante o Tribunal, prestar as informações necessárias aos denunciantes quanto à tramitação e resultado, e manter canais de comunicação direta com os cidadãos e a sociedade, no que tange ao exercício do controle externo da aplicação de recursos públicos e eficiência administrativa, sendo as competências do seu Titular estabelecidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 19 - À Corregedoria, órgão de assessoramento direto ao Corregedor em suas atividades finalísticas, compete o controle e gerenciamento das atividades de correição sobre os servidores e acompanhamento de suas atividades, além da prestação de informações e procedimentos para o processo decisório dos Colegiados, sendo as competências do seu Titular estabelecidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 20 - Ao Gabinete do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado da Bahia, órgão de assessoramento direto ao Chefe do Ministério Público Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado da Bahia, compete prestar assistência aos respectivos Titulares em suas atividades técnicas e administrativas, exercendo as competências relativas ao preparo e encaminhamento do expediente, ao planejamento e acompanhamento das atividades inerentes às atribuições dos seus cargos, sendo as competências do seu Titular estabelecidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

Art. 2º - Os Conselheiros, na forma que dispuser o Regimento Interno, exercerão as funções de supervisão técnica das Coordenadorias de Controle Externo, mediante sorteio quadrianual, observando como critério indicativo o plano plurianual do Estado.

 

CAPÍTULO II

DO QUADRO DE PESSOAL E SISTEMA DE REMUNERAÇÃO

 

Art. 3º - O Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado compreende Cargos Efetivos e Cargos em Comissão regidos por esta Lei e pelo Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado da Bahia.

 

Art. 4º - O Quadro de Pessoal Efetivo do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, com os cargos escalonados em classes verticais, e estas em referências horizontais, e respectiva lotação numérica, é o constante do Anexo I, que integra esta Lei.

 

§ 1º - Os cargos de provimento efetivo de Auditor Jurídico e de Auditor de Controle Externo, do Quadro de Pessoal Efetivo do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, passam a ser denominados de Auditor.

 

§ 2º - Os cargos de provimento efetivo de Analista de Controle Externo, do Quadro de Pessoal Efetivo do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, passam a ser denominados de Auditor Estadual de Controle Externo.

 

§ 3º - As categorias funcionais são escalonadas em classes, indicadas por letras, e estas em referências, indicadas por números, que constituem sua escala de vencimentos, com exceção da categoria de Auditor, que é escalonada apenas em classes.

 

§ 4º - A redistribuição dos servidores efetivos da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC), extinta por esta Lei, no Quadro mencionado no caput deste artigo, far-se-á nas mesmas referências e classes dos cargos correspondentes aos por eles ocupados.

 

§ 5º - As mudanças de nomenclaturas previstas nos §§ 1º e 2º não representarão qualquer alteração na forma ou espécie de remuneração, classe, nível, lotação e conteúdo ocupacional, na forma descrita nesta Lei.

 

Art. 5º - Os cargos de provimento efetivo estão classificados nos seguintes grupos ocupacionais:

 

I - Grupo de Atividades Controladoras, designado pelo Código TCE-AC-600, compreendendo os cargos de nível superior e de nível médio, correspondentes às atividades finalísticas do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, no exercício das funções de controle externo que lhe são constitucionalmente atribuídas;

 

II - Grupo de Atividades Estratégicas de Tecnologia da Informação, designado pelo Código TCE-AETI-500, compreendendo os cargos de nível superior, correspondentes às atividades do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, inclusive no exercício das funções de controle externo nas áreas de tecnologia da informação;

 

III - Grupo de Atividades de Nível Superior, designado pelo Código TCE-ANS-400, compreendendo cargos a que são inerentes as atividades técnicas não finalísticas do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, desenvolvidas em áreas de conhecimentos obtidos em curso de nível superior;

 

IV - Grupo de Atividades Técnicas e Administrativas de Nível Médio, designado pelo Código TCE-ANM-300, compreendendo cargos a que são inerentes atividades técnicas não finalísticas do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, bem como atividades administrativas, que exijam escolaridade de 2º Grau;

 

V - Grupo de Atividades Auxiliares, designado pelo Código TCE-AA-200, compreendendo cargos a que são inerentes atividades auxiliares, para cujo desempenho seja suficiente a escolaridade de 1º Grau.

 

§ 1º - Os grupos ocupacionais referidos neste artigo estruturam-se em categorias funcionais identificadas segundo a natureza e a complexidade do trabalho desenvolvido, o grau de escolaridade e a abrangência de conhecimentos e de aperfeiçoamento exigidos, e demais requisitos estabelecidos nas especificações das respectivas categorias.

 

§ 2º - O planejamento e a execução das atividades de controle externo, no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, são privativos dos servidores integrantes do grupo ocupacional de Atividades Controladoras, do grupo ocupacional de Atividades Estratégicas de Tecnologia da Informação, no âmbito de sua especialidade, e do Quadro Suplementar, sem prejuízo da participação eventual em auditorias de especialistas e peritos técnicos estranhos ao Quadro de Pessoal do Órgão, ou de servidores públicos ou profissionais que exerçam atividades de auditoria em órgãos ou entidades que celebrem acordos de cooperação técnica com vigência não superior a 90 (noventa) dias, prorrogáveis uma única vez.

 

§ 3º - O Grupo de Atividades Controladoras compreende cargos estruturados em carreiras típicas do Estado, com os seguintes conteúdos ocupacionais:

 

I - Auditor - atividades auditoriais de nível superior, compreendendo as funções de substituição de Conselheiro, instrução e apresentação de proposta de voto, em primeira instância, de processos, participação em órgãos técnicos auditoriais colegiados do Tribunal de Contas e nas equipes técnicas instituídas pelo Tribunal para atender às solicitações previstas no art. 91, IX e XVI, da Constituição Estadual, e no art. 1º, IX, XVI e XXII, da Lei Complementar nº 005, de 04 de dezembro de 1991, emissão de parecer técnico em matéria de consulta e denúncia, pronunciamento conclusivo em matéria auditorial relevante, na forma definida no Regimento Interno, bem como o exercício das demais atividades técnicas especificadas no inciso II seguinte;

 

II - Auditor Estadual de Controle Externo - atividades auditoriais de nível superior, englobando também coordenação, supervisão e execução de serviços de auditoria, bem como elaboração de estudos, pesquisas e informações de caráter transdisciplinar e emissão de pareceres e relatórios conjuntos nas áreas jurídica, contábil, financeira, econômica, administrativa, de engenharia, de tecnologia da informação e de planejamento;

 

III - Auditor Estadual de Infraestrutura - atividades auditoriais de nível superior, englobando também coordenação, supervisão e execução de serviços de auditoria na área de infraestrutura, bem como elaboração de estudos, pesquisas e informações de caráter transdisciplinar e emissão de pareceres e relatórios conjuntos, nas áreas de engenharia e de arquitetura;

 

IV - Agente de Controle Externo - cargo em extinção que tem como conteúdo ocupacional o desempenho de atividades de nível médio, abrangendo a execução de serviços auditoriais.

 

§ 4º - É requisito de escolaridade para ingresso no cargo de Auditor Estadual de Controle Externo o diploma de conclusão de curso superior em Administração, Ciências Contábeis, Ciências da Computação e Informática, Direito, Economia, Engenharia, Arquitetura ou Estatística, conforme especificações no edital do concurso.

 

§ 5º - É requisito de escolaridade para ingresso no cargo de Auditor Estadual de Infraestrutura o diploma de conclusão de curso superior em Engenharia ou Arquitetura, conforme especificações no edital do concurso.

 

§ 6º - O Grupo de Atividades Estratégicas de Tecnologia da Informação compreende cargos de Analista de Sistema e Analista de Suporte com atribuições de desenvolver atividades técnicas no exercício das ações de suporte, programação e análise de sistemas de informações e de comunicação de dados, bem como atividades de controle externo em sua área de atuação.

 

§ 7º - O Grupo de Atividades de Nível Superior compreende os seguintes cargos estruturados em carreiras técnicas não finalísticas do Tribunal de Contas do Estado da Bahia:

 

I - Médico Perito - prestar assistência médica nas dependências do Tribunal de Contas, participar de estudos e pesquisas de assuntos de medicina e emitir pareceres e relatórios sobre questões da área de atuação, quando solicitados pelas equipes de auditoria, promover programas de educação e propor medidas que possam melhorar o nível de saúde dos servidores;

 

II - Dentista - executar atividades de assistência buco-dentária, incluindo profilaxia, nas dependências do Tribunal de Contas, participar de estudos e pesquisas de assuntos de odontologia e emitir pareceres e relatórios sobre questões da área de atuação, quando solicitados pelas equipes de auditora, promover programas de educação de servidores e de implantação de normas técnicas e equipamentos, propor medidas que possam melhorar o nível de saúde oral dos servidores;

 

III - Bibliotecário - executar atividades de planejamento, implementação, administração e organização de bibliotecas e sistemas de acesso e recuperação de informação, seleção, classificação, registro, guarda e conservação de acervos de documentos, bibliográficos e memoriais, estruturar e efetivar a normalização e padronização dos serviços técnicos de tratamento da informação;

 

IV - Jornalista - executar atividades de apurar, pautar, reportar, redigir e editar notícias coletar e checar informações por meio de leitura, pesquisa, entrevista e outros recursos de apuração jornalística intermediar o relacionamento com fontes de informação nos diversos setores da sociedade propor e redigir textos jornalísticos, incluindo reportagens fotográficas contribuir com o Tribunal em seu planejamento editorial de gestão trabalhar com acompanhamento, análise e seleção de matérias, de mídias impressas, audiovisuais, inclusive multimídia e internet, para produção, formação, incremento e atualização regular de um banco de notícias, como clipping e outros produtos correlatos, atualizar as notícias do sítio da internet do Tribunal de Contas;

 

V - Taquígrafo - executar trabalhos de taquigrafia de pronunciamentos, discursos, debates e citações de textos em sessões plenárias e em outros eventos de interesse do Tribunal de Contas, traduzir e digitar em linguagem correta os elementos apanhados, revisar os apanhados e adequar o trabalho às normas estabelecidas para a área de taquigrafia;

 

VI - Agente Público - executar atividades de planejamento, organização, supervisão, coordenação, avaliação, execução e gerenciamento dos trabalhos desenvolvidos nas unidades organizacionais responsáveis pelas atividades não finalísticas do Tribunal de Contas do Estado da Bahia e que fornecem o suporte necessário ao cumprimento das suas atribuições.

 

§ 8º - Os cargos descritos nos incisos I a III, do parágrafo anterior, são privativos de profissionais portadores de diplomas de graduação nas carreiras respectivas.

 

§ 9º - O Grupo de Atividades Técnicas e Administrativas de Nível Médio, designado pelo Código TCE-ANM-300, e o Grupo de Atividades Auxiliares, designado pelo Código TCE-AA-200, compreendem os cargos, em extinção, estruturados em carreiras na forma do Anexo I, desta Lei, e têm atribuições complementadas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

Art. 6º - Os cargos em comissão de direção e assessoramento do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, bem como a respectiva lotação numérica, são os indicados no Anexo II, desta Lei, sendo identificados pelo Código TCE-CPC-100, e serão alocados nas unidades indicadas no art. 1º, desta Lei, mediante Resolução do Tribunal Pleno.

 

Art. 7º - Os vencimentos básicos atribuídos aos cargos de provimento permanente do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, bem como aos cargos que integram o seu Quadro Suplementar, criado pela Lei nº 5.978, de 23 de setembro de 1990, e os símbolos remuneratórios dos cargos em comissão são os indicados no Anexo III, desta Lei.

 

§ 1º - O vencimento dos ocupantes dos cargos do Tribunal de Contas do Estado da Bahia é composto de uma parte fixa, relativa à remuneração básica do respectivo cargo, e de outra correspondente à Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo.

 

§ 2º - A parte variável do vencimento, denominada Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, será calculada mediante aplicação de sistema de avaliação anual mensurado em pontos, cujo limite máximo será de 1.500 pontos, sendo 500 pontos mensuráveis a partir do desempenho individual do servidor, 500 pontos mensuráveis pelo cumprimento das metas do órgão em que estiver lotado e 500 pontos mensuráveis pelo cumprimento das metas da organização, estabelecidas anualmente mediante Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 3º - As normas de aplicação, acompanhamento e controle do sistema de avaliação, para fins de cálculo da Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, serão definidas em Resolução do Tribunal Pleno.

 

§ 4º - A partir de 1o de fevereiro de 2015, fica incorporado à parte fixa do vencimento dos servidores do Quadro de Pessoal Efetivo e do Quadro Suplementar, e à parte fixa dos Símbolos Remuneratórios do Quadro de Pessoal em Comissão do Tribunal de Contas do Estado da Bahia o valor correspondente a 1.500 pontos da Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, conforme escalonamento previsto no Anexo III, desta Lei, observados os valores dos pontos de cada cargo e classe respectivamente ocupados, assegurando-se a irredutibilidade dos vencimentos.

 

§ 5º - Em decorrência da incorporação prevista no parágrafo anterior, a parte fixa dos vencimentos atribuídos aos cargos de provimento efetivo do Quadro de Pessoal Efetivo e do Quadro Suplementar, e a parte fixa dos símbolos remuneratórios dos cargos em comissão do Quadro de Pessoal em Comissão do Tribunal de Contas do Estado da Bahia são as indicadas nas tabelas do Anexo III, desta Lei.

 

§ 6º - No caso dos servidores aposentados, o valor incorporado à parte fixa do vencimento, por força do disposto no § 4º, deste artigo, será subtraído do valor percebido a título de Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, de Gratificação por Regime de Tempo Integral, ou de Gratificação por Condições Especiais de Trabalho, inclusive daqueles cuja incorporação tenha decorrido de sentença judicial, reduzindo-se, nos dois últimos casos, proporcionalmente, o percentual incorporado, mas, em qualquer hipótese, assegurando-se a irredutibilidade dos proventos.

 

§ 7º - Os valores percentuais dos pontos correspondentes à Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, atribuíveis a cada cargo e respectivas classes do Quadro de Pessoal Efetivo e do Quadro Suplementar, e dos Símbolos Remuneratórios do Quadro de Pessoal em Comissão do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, são os estabelecidos no Anexo IV desta Lei.

 

§ 8º - Nos períodos de férias e das licenças previstas nos incisos I, II e V, do art. 98, e incisos IV a VI, do art. 120, todos da Lei nº 6.677, de 26 de setembro de 1994, o servidor receberá a Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo como se em exercício estivesse, acrescida, nas férias, de abono correspondente à sua remuneração.

 

§ 9º - Para efeito do cálculo da média de pontos da Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, a ser incorporada aos proventos dos servidores que vierem a se aposentar dentro dos 12 (doze) meses subsequentes ao da vigência desta Lei, as quantidades de pontos percebidas nos meses anteriores ao de sua entrada em vigor serão reduzidas em igual proporção à incorporação promovida por força do disposto nesta Lei.

 

§ 10 - A Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo, para efeitos dos proventos de aposentadoria, será fixada pela média dos doze últimos meses imediatamente anteriores à aquisição do direito à aposentadoria, do implemento da idade limite de permanência no serviço ou da data da edição do ato aposentador, o que for mais benéfico ao servidor.

 

§ 11 - Na hipótese de aposentadoria voluntária por tempo de serviço, poderá ser considerada a média dos doze últimos meses imediatamente anteriores à do pedido de aposentadoria.

 

Art. 8º - Fica instituída a Remuneração por Atividade de Instrutoria Interna, que será paga em caráter eventual a servidores do Tribunal de Contas do  Estado da Bahia que atuem como instrutores em programas de capacitação instituídos no âmbito do Tribunal de Contas, cuja regulamentação se dará por Resolução do Tribunal Pleno.

 

Art. 9º - A partir de 1o de fevereiro de 2015, fica instituída a Gratificação de Incentivo Funcional, calculada sobre o vencimento, que será paga aos servidores portadores de diploma ou certificado de conclusão dos cursos, regularmente reconhecidos pelo Ministério da Educação e Cultura, de:

 

I - Graduação em nível superior, relacionada à atividade finalística do Tribunal, para os cargos que exigem conclusão do 2º grau para ingresso - 1% (um ponto por cento);

 

II - Especialização com carga horária mínima de 360 (trezentos e sessenta) horas - 1,5% (um e meio por cento);

 

III - Mestrado - 2% (dois por cento);

 

IV - Doutorado - 2,5% (dois e meio por cento).

 

Parágrafo único - O servidor portador de mais de um diploma ou certificado de conclusão de curso poderá receber apenas um dos percentuais das gratificações previstas nos incisos anteriores, de forma não cumulativa.

 

Art. 10 - O Tribunal de Contas do Estado da Bahia poderá financiar parcialmente cursos em instituições de nível superior para os servidores, na forma regulamentada por Resolução do Tribunal Pleno.

 

CAPÍTULO III

DO INGRESSO E MOVIMENTAÇÃO

 

Art. 11 - A investidura em cargo de provimento efetivo do Quadro do Tribunal de Contas do Estado da Bahia depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos e de nomeação pelo Presidente do Tribunal.

 

§ 1º - O Tribunal de Contas estabelecerá em ato normativo próprio a distribuição dos cargos por área de habilitação profissional necessários ao exercício das suas competências constitucionais e legais.

 

§ 2º - O edital de concurso público para provimento do cargo de Auditor Estadual de Controle Externo estabelecerá o número de cargos a serem providos para cada área de habilitação, e a nomeação respeitará a ordem de classificação por área.

 

Art. 12 - O Presidente do Tribunal de Contas do Estado da Bahia proverá os cargos em comissão, atendendo aos seguintes requisitos:

 

I - Os cargos em comissão são de recrutamento amplo, sujeitos à livre nomeação e exoneração, excetuados:

 

a) os cargos de Superintendente Técnico, Secretário Geral, Coordenador de Controle Externo, Chefe da Auditoria Interna, Assessor-Chefe e Assessor Técnico-Jurídico Adjunto da Assessoria Técnico-Jurídica, Ouvidor, Gerente de Auditoria, Gerente de Métodos, Técnicas e Normas para Auditoria, Gerente de Desenvolvimento da Gestão do Controle Externo, cujos ocupantes deverão ser recrutados dentre os integrantes do Grupo de Atividades Controladoras, que contem com no mínimo três anos de exercício no Tribunal de Contas, observando-se, relativamente ao Assessor-Chefe e Assessor Técnico-Jurídico Adjunto da Assessoria Técnico-Jurídica, o título de Bacharel em Direito;

 

b) o cargo de Assessor Técnico-Jurídico, cujo ocupante deverá ser recrutado dentre os integrantes do Grupo de Atividades Controladoras;

 

c) os cargos de Diretor do Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC), Gerente de Infraestrutura, Gerente de Desenvolvimento de Sistemas, Gerente de Informações Estratégicas e Apoio à Auditoria e Gerente de Projetos e Modernização, cujos ocupantes deverão ser recrutados dentre os integrantes do Grupo de Atividades Controladoras, ou do Grupo de Atividades Estratégicas de Tecnologia da Informação;

 

d) os cargos de Chefe de Serviço de Cadastro e Informações e Chefe de Serviço de Pagamento de Pessoal, cujos ocupantes poderão provir de qualquer categoria funcional integrante do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado da Bahia;

e) os cargos de Chefe de Gabinete da Presidência, Diretor do Centro de Planejamento e Estudos Interdisciplinares para o Controle Externo (CEICE), Gerente de Cadastro, Avaliação e Pagamento de Pessoal, Assessor-Coordenador de Gabinete de Conselheiro, Chefe da Coordenação de Contabilidade, Chefe da Coordenação de Recursos   Humanos,  Gerente de Assistência ao Servidor e Assistente da Superintendência Técnica, cujos ocupantes poderão provir de qualquer categoria funcional integrante do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, observando-se, relativamente ao Chefe da Coordenação de Contabilidade, também o título de Bacharel em Contabilidade;

 

f) 05 (cinco) dos cargos de Assessor do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado, bem como o de Chefe de Gabinete do Ministério Público, cujos ocupantes poderão provir de qualquer categoria funcional integrante do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas do Estado da Bahia;

 

II - O cargo de Assistente de Comunicação é  de recrutamento amplo;

 

III - Os cargos classificados nos símbolos TCE-04, TCE-05 e TCE-06 são privativos de portadores de diploma de curso superior e somente estes poderão responder pelos seus titulares ou substituí-los.

 

§ 1º - O provimento dos cargos de Superintendente Técnico, de Secretário Geral, de Ouvidor e de Coordenador de Controle Externo, nomeados e exonerados pelo Presidente, dependerá de prévia aprovação do Tribunal Pleno.

 

§ 2º - O provimento do cargo de Chefe da Auditoria Interna, nomeado e exonerado pelo Presidente, dependerá de prévia aprovação do Tribunal Pleno.

 

§ 3º - O mandato do Chefe da Auditoria Interna, que será de 02 (dois) anos, não poderá ser renovado para o período imediatamente subsequente, e somente será interrompido por falta grave cometida nos termos do Estatuto dos Servidores Públicos Civis do Estado da Bahia, observados os princípios do contraditório e da ampla defesa.

 

Art. 13 - A movimentação interna dos servidores será efetivada através de Progressão Funcional, de acordo com o estabelecido nos artigos seguintes e no Regulamento específico, aprovado por Resolução do Tribunal Pleno.

 

Parágrafo único - O Regulamento de Progressão Funcional estabelecerá critérios objetivos de avaliação de desempenho e níveis de pontuação mínima, com o objetivo de promover o aprimoramento funcional e a otimização dos serviços prestados pelo Tribunal de Contas do Estado da Bahia, sendo vedada a utilização de critérios subjetivos ou indeterminados, ou de níveis de pontuação mínima tão reduzidos que não permitam distinguir entre os diversos graus de desempenho apresentados.

 

Art. 14 - A Progressão Horizontal dar-se-á mediante a movimentação do servidor de uma referência para outra, dentro da mesma classe, alternadamente pelos critérios de merecimento e antiguidade, independentemente de vaga.

 

Parágrafo único - Será observado o interstício mínimo de 01 (um) ano na referência, contado do ingresso ou da última progressão funcional.

 

Art. 15 - A Progressão Vertical dar-se-á mediante a movimentação do servidor de uma classe para a seguinte, dentro do mesmo cargo, alternadamente pelos critérios de merecimento e antiguidade, independentemente de vaga.

 

Parágrafo único - Somente poderá habilitar-se para a progressão vertical o servidor que estiver, há pelo menos 01 (um) ano, na última referência da classe que ocupa.

 

Art. 16 - A avaliação do desempenho do servidor e de sua assiduidade, para efeito de progressão por merecimento, seja horizontal, seja vertical, levará em conta o período de 24 (vinte e quatro) meses imediatamente anterior à data de instalação dos trabalhos da Comissão de Avaliação Funcional.

 

§ 1º - No caso de progressão, vertical ou horizontal, por antiguidade, este período será utilizado apenas para aferição da assiduidade.

 

§ 2º - Não poderá haver progressão, quer horizontal quer vertical, de servidor que, durante o período considerado, tiver tido mais de 06 (seis) faltas injustificadas ao trabalho.

 

Art. 17 - O servidor afastado do Tribunal de Contas do Estado da Bahia para exercício de mandato eletivo, ou à disposição de outros órgãos ou entidades da Administração Pública de outros Poderes do Estado da Bahia, de outros Estados, da União ou dos Municípios, somente fará jus às progressões por antiguidade, não podendo habilitar-se a qualquer modalidade de progressão por merecimento, seja horizontal, seja vertical, resguardada a norma contida no art. 41, inciso XXXII, da Constituição Estadual da Bahia.

 

Art. 18 - As vagas que ocorrerem em qualquer classe e referência de uma categoria funcional serão consideradas na classe e referência iniciais.

 

Art. 19 - Aos ocupantes de cargos efetivos, quando no exercício de cargos de provimento em comissão, no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, fica assegurado o direito a todas as modalidades de Progressão Funcional, no respectivo cargo efetivo, observadas, em qualquer caso, as exigências e condições estabelecidas neste Capítulo.

 

CAPÍTULO IV

DA EXTINÇÃO DO CENTRO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS PARA AUDITORIA (CEDASC)

 

Art. 20 - Ficará extinta, em 31 de dezembro de 2014, a autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria - CEDASC, vinculada ao Tribunal de Contas do Estado da Bahia, criada pela Lei Estadual nº 4.819, de 28 de dezembro de 1988, com as alterações promovidas pelas Leis nº 7.879, de 29 de junho de 2001, e Complementar nº 27, de 28 de junho de 2006.

 

Art. 21 - Todos os bens de propriedade da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria - CEDASC reverterão ao patrimônio do Estado da Bahia, e, após inventário, ficarão afetados ao Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

Art. 22 - O Estado da Bahia sucederá, por intermédio do Tribunal de Contas do Estado, a autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria –CEDASC em todos os seus direitos, obrigações, créditos, débitos, ações decorrentes de lei, contratos, convênios e atos, com a sua extinção.

 

Parágrafo único - O Tribunal de Contas do Estado da Bahia adotará as providências necessárias à adaptação dos instrumentos contratuais, bem como dos convênios, protocolos e instrumentos congêneres firmados pela autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria - CEDASC, nos termos da legislação específica, procedendo-se às adequações orçamentárias necessárias.

 

Art. 23 - Com a extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria - CEDASC, os estudos e pesquisas de novas metodologias para o controle externo, o planejamento, fomento, bem como o suporte técnico especializado ao processo auditorial passarão a ser exercidos pelo Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

Art. 24 - Com a extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC), ficarão extintos os cargos em comissão: 5 (cinco) de Gerente e 01 (um) de Assessor Técnico-Jurídico, todos símbolo CEDASC-04, 03 (três) cargos de Diretor, símbolo CEDASC-05, e 1 (um) cargo de Diretor Geral, símbolo CEDASC-06, constantes do Anexo VII da Lei nº 7.879, de 29 de junho de 2001, e do Anexo 4 da Lei Complementar nº 27, de 28 de junho de 2006, e 05 (cinco) cargos de provimento efetivo de Agente Público, constantes do Anexo IX da Lei nº 7.879, de 29 de junho de 2001, e do Anexo 3 da Lei Complementar nº 27, de 28 de junho de 2006.

 

Art. 25 - Em decorrência da extinção dos cargos prevista no artigo anterior, ficam criados, no Tribunal de Contas do Estado da Bahia, 01 (um) cargo em comissão símbolo TCE-05 de Diretor do Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria - CEDASC e 05 (cinco) cargos em comissão, símbolo TCE-04, de Gerente de Infraestrutura, de Gerente de Desenvolvimento de Sistemas, de Gerente de Informações Estratégicas e Apoio à Auditoria, de Gerente de Serviços e Suporte aos Usuários e de Gerente de Projetos e Modernização, na forma do Anexo II desta Lei, para compor a nova estrutura do Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

Art. 26 - Os cargos e servidores do quadro de pessoal efetivo definido no inciso I do art. 25 da Lei nº 7.879, de 29 de junho de 2001, e nos incisos II e III do art. 17 da Lei Complementar nº 27, de 28 de junho de 2006, a partir da extinção da autarquia, serão redistribuídos para o Quadro de Pessoal Efetivo do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, nos termos dos arts. 37 e 38 da Lei Estadual nº 6.677/94.

 

Art. 27 - O Presidente do Tribunal de Contas do Estado da Bahia constituirá Comissão com a finalidade de proceder ao levantamento das informações necessárias à extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria - CEDASC.

 

Parágrafo único - Entre as informações necessárias à extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC), caberá à Comissão Especial indicar:

 

I - situação patrimonial, com o inventário completo dos bens móveis;

 

II - situação contábil, orçamentária e financeira;

 

III - relatório com todos os contratos e convênios vigentes;

 

IV - relatório com todas as licitações em curso;

 

V - relatório com todos os processos administrativos e judiciais ativos;

 

VI - situação funcional dos servidores.

 

Art. 28 - Fica o Poder Executivo Estadual autorizado a proceder às alterações orçamentárias necessárias ao cumprimento da presente Lei em razão da extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC).

 

CAPÍTULO V

DO PROCESSO ELETRÔNICO

 

Art. 29 - O Tribunal de Contas do Estado da Bahia poderá adotar o uso de meio eletrônico para a tramitação de processos, a comunicação de atos e a transmissão de peças processuais, no âmbito de suas atribuições, na forma que dispuser a legislação federal aplicável.

 

Parágrafo único - O sistema eletrônico utilizará a rede mundial de computadores, bem como redes internas e externas, priorizando a padronização, registro dos atos em arquivo inviolável, e conterá assinatura eletrônica em todos os atos processuais, na forma da legislação aplicável.

 

Art. 30 - Os jurisdicionados deverão enviar e receber dados e documentos que o Tribunal de Contas do Estado repute necessários ao exercício da atividade de controle externo, na forma eletrônica, definidos em Regimento Interno ou norma específica.

 

Art. 31 - Os documentos produzidos eletronicamente e juntados aos processos eletrônicos, assim como os dados eletrônicos armazenados nos bancos de dados do Tribunal, com garantia de sua origem e de seu signatário, na forma estabelecida na legislação aplicável, serão considerados originais para todos os efeitos legais.

 

CAPÍTULO VI

DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS

 

Art. 32 - Os §§ 1º, 2º e 3º do art. 1º da Lei nº 10.547, de 27 de dezembro de 2006, com a redação introduzida pela Lei nº 11.483, de 10 de julho de 2009, passam a vigorar com as seguintes redações:

 

“Art. 1º - ................................................................................................

 

§ 1º - O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Estado é constituído por 06 (seis) Procuradores, cujos subsídios são fixados no Anexo Único desta Lei.

 

§ 2º - O ingresso na carreira de Procurador far-se-á mediante concurso público de provas e títulos, assegurada a participação da Ordem dos Advogados do Brasil e observando-se, na nomeação, a ordem de classificação, exigindo-se do bacharel em Direito, no mínimo, 03 (três) anos de atividade jurídica.

 

§ 3º - O Procurador-Geral será nomeado para mandato de 02 (dois) anos, dentre os integrantes da carreira, permitida uma recondução, tendo o tratamento protocolar compatível com a relevância do cargo.”

 

Art. 33 - Revoga-se o § 4º do art. 1º da Lei nº 10.547, de 27 de dezembro de 2006, com a redação introduzida pela Lei nº 11.483, de 10 de julho de 2009.

 

Art. 34 - O parágrafo único do art. 4º da Lei nº 10.547, de 27 de dezembro de 2006, com a redação introduzida pela Lei nº 11.483, de 10 de julho de 2009, passa a vigorar com a seguinte redação:

 

“Art. 4º - ................................................................................................

 

Parágrafo único - O cargo comissionado de Chefe de Gabinete e os cargos em comissão de Assessor, escolhidos dentre os servidores do Tribunal de Contas do Estado, e de Assessor-Adjunto são privativos de profissionais de nível superior, nos termos da lei.”

 

Art. 35 - Ficam transformados em cargos de Assessor-Adjunto, símbolo TCE-03, os seguintes cargos em comissão, criados pelo art. 4º da Lei nº 10.547, de 27 de dezembro de 2006: os 02 (dois) cargos de Assessor, símbolo TCE-04; 01 (um) cargo de Secretário-Assistente, símbolo TCE-03, e os 02 (dois) cargos de Assistente, símbolo TCE-01.

 

Art. 36 - Fica criado, na estrutura do Tribunal de Contas do Estado, para atender ao disposto na Lei nº 10.547, de 27 de dezembro de 2006, 01 (um) cargo em comissão de Assessor-Adjunto, símbolo TCE-03.

 

Art. 37 - A partir de 1o de fevereiro de 2015, o Anexo Único da Lei nº 11.483, de 10 de julho de 2009, passa a vigorar conforme o escalonamento previsto no Anexo V desta Lei, aplicando-se, ainda, as disposições do art. 1º, incisos II e III, da Lei nº 12.805, de 23 de abril de 2013.

 

Art. 38 - Ficam extintos os seguintes cargos de provimento permanente do Quadro do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, nas quantidades discriminadas:

 

I - 03 (três) cargos de Médico Perito, ficando sua quantidade reduzida para 06 (seis);

 

II - 01 (um) cargo de Dentista, ficando sua quantidade reduzida para 04 (quatro);

 

III - 02 (dois) cargos de Bibliotecário, ficando sua quantidade reduzida para 02 (dois);

 

IV - 01 (um) cargo de Taquígrafo, ficando sua quantidade reduzida para 09 (nove);

 

V - 12 (doze) cargos de Assistente Administrativo, ficando sua quantidade reduzida para 23 (vinte e três);

 

VI - 29 (vinte e nove) cargos de Motorista, ficando sua quantidade reduzida para 13 (treze);

 

VII - 05 (cinco) cargos de Assistente de Plenário, ficando sua quantidade reduzida para 01 (um);

 

VIII - 30 (trinta) cargos de Analista de Controle Externo, denominados, a partir da vigência desta Lei, de Auditor Estadual de Controle Externo.

 

§ 1º - Os cargos de Médico Perito serão extintos à medida em que ficarem vagos, até o número de 04 (quatro).

 

§ 2º - Os cargos de Auditor, em número de 40 (quarenta), serão extintos à medida que ficarem vagos, até o número de 06 (seis).

 

§ 3º - Os cargos de Taquígrafo serão extintos à medida em que ficarem vagos, até o número de 05 (cinco).

 

§ 4º - Os cargos de Agente de Controle Externo, Operador de Microfilmagem, Outros Profissionais de Nível Médio, Agente de Segurança, Auxiliar de Serviços Gerais, Motorista, Assistente de Plenário e Assistente Administrativo serão extintos à medida em que ficarem vagos.

 

§ 5º - Os ocupantes do cargo de Agente de Controle Externo, quando aposentados, terão direito aos mesmos reajustes concedidos aos ocupantes dos cargos do Grupo de Atividades Controladoras.

 

Art. 39 - Ficam extintos os seguintes cargos em comissão no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Bahia:

 

I - 06 (seis) cargos de Coordenador de Gabinete de Conselheiro, símbolo TCE-06;

 

II - o cargo de Gerente da Gerência de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento Profissional, símbolo TCE-04.

 

Art. 40 - Ficam transformados, no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Bahia:

 

I - o cargo de Diretor Administrativo e Financeiro em Diretor Administrativo, mantido o símbolo TCE-06;

 

II - o cargo de Coordenador de Projetos Especiais em Coordenador de Controle Externo, mantido o símbolo TCE-05;

 

III - o cargo de Gerente de Recursos Humanos em Chefe da Coordenação de Recursos Humanos, símbolo TCE-05;

 

IV - o cargo de Inspetor de Finanças em Chefe da Coordenação de Contabilidade, mantido o símbolo TCE-05;

 

V - o cargo de Chefe de Gabinete em Chefe de Gabinete do Ministério Público, mantido o símbolo TCE-05;

 

VI - 04 (quatro) cargos de Gerente de Projetos Especiais em quatro cargos de Gerente de Auditoria, mantidos os símbolos TCE-04;

 

VII - o cargo de Gerente de Avaliação de Desempenho em Gerente de Planejamento Operacional, mantido o símbolo TCE-04;

 

VIII - o cargo de Gerente Médico-Odontológico em Gerente de Assistência ao Servidor, privativo de servidores do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, mantido o símbolo TCE-04;

 

IX - o cargo de Chefe de Gabinete da Vice-Presidência em Assessor da Vice-Presidência, mantido o símbolo TCE-04;

 

X - o cargo de Gerente em Gerente de Controle Processual, Gerente de Protocolo Geral, Gerente de Arquivo, Gerente de Biblioteca e Documentação, Gerente de Jurisprudência e Informações, Gerente de Orçamento e Finanças, Gerente de Liquidação de Despesas, Gerente de Administração e Gerente de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento Institucional, mantido o símbolo TCE-04;

 

XI - 05 (cinco) cargos de Assessor em Assessor do Ministério Público, mantido o símbolo TCE-04;

 

XII - 12 (doze) cargos de Assessor em Assessor de Gabinete de Conselheiro, mantido o símbolo TCE-04;

 

XIII - 01 (um) cargo de Assessor em Assessor da Presidência, mantido o símbolo TCE-04;

 

XIV - 14 (quatorze) cargos de Assistente, cujo Símbolo é TCE-04, em Assistente de Gabinete de Conselheiro, mantido o símbolo;

 

XV - o cargo de Chefe do Serviço de Coordenação e Controle Técnico em Assistente da Superintendência Técnica, privativo de servidores do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, mantido o símbolo TCE-03;

 

XVI - o cargo de Chefe de Serviço do Controle de Cadastro de Órgãos e Cerimonial em Chefe de Cerimonial, mantido o Símbolo TCE-03;

 

XVII – 10 (dez) cargos de Chefe de Serviço em Chefe de Serviço de Taquigrafia, Chefe de Serviço de Controle de Decisões, Chefe de Serviço de Execução Orçamentária, Chefe de Serviço de Execução Financeira, Chefe de Serviço de Cadastro e Informações, Chefe de Serviço de Pagamento de Pessoal, Chefe de Serviço de Assistência Social, Chefe de Serviço de Material e Patrimônio, Chefe de Serviço de Compras e Chefe de Serviços Auxiliares, mantido o símbolo TCE-03;

 

XVIII - 07 (sete) cargos de Chefe de Serviço em Assistente de Administração, mantido o Símbolo TCE-03;

 

XIX - O cargo de Chefe de Serviço em Assistente Especializado de Biblioteca, mantido o símbolo TCE-03;

 

XX - o cargo de Assistente de Gabinete em Atendente Especializado de Biblioteca, mantido o símbolo TCE-01.

 

Art. 41 - Ficam criados, no âmbito do Tribunal de Contas do Estado da Bahia:

 

I - 06 (seis) cargos de Assessor-Coordenador de Gabinete de Conselheiro, símbolo TCE-05, privativos de servidores do Tribunal de Contas do Estado da Bahia;

 

II - 01 (um) cargo de Diretor da Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa, símbolo TCE-05, privativo de servidores do Tribunal de Contas do Estado da Bahia;

 

III - 06 (seis) cargos de Assessor de Gabinete de Conselheiro, símbolo TCE-04;

 

IV - 01 (um) cargo de Assessor da Presidência, símbolo TCE-04;

 

V - 01 (um) cargo de Assessor Técnico-Jurídico Adjunto, símbolo TCE-04, privativo de servidores do Tribunal de Contas do Estado da Bahia, integrante da Assessoria Técnico-Jurídica;

 

VI - 01 (um) cargo de Gerente de Métodos, Técnicas e Normas para a Auditoria, símbolo TCE-04;

 

VII - 01 (um) cargo de Gerente de Desenvolvimento da Gestão do Controle Externo, Símbolo TCE-04;

 

VIII - 01 (um) cargo de Gerente de Cadastro, Avaliação e Pagamento de Pessoal, símbolo TCE-04;

 

IX - 01 (um) cargo de Gerente de Preservação Patrimonial, símbolo TCE-04;

 

X - 01 (um) cargo de Assessor da Corregedoria, símbolo TCE-04;

XI - 01 (um) cargo de Chefe do Serviço Médico, símbolo TCE-03;

 

XII - 01 (um) cargo de Assistente da Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa, símbolo TCE-03;

 

XIII - 01(um) cargo de Chefe do Serviço Odontológico, símbolo TCE-03;

 

XIV - 02 (dois) cargos de Assistente de Comunicação, ambos símbolo TCE-02;

 

XV – 01 (um) cargo de Assistente-Adjunto da Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa, símbolo TCE-02;

 

XVI - 01 (um) cargo de Assistente da Corregedoria, símbolo TCE-02;

 

XVII - 02 (dois) cargos de Assistente de Protocolo, símbolo TCE-01, integrantes da Gerência de Protocolo;

 

XVIII – 02 (dois) cargos de Assistente de Arquivo, símbolo TCE-01, integrantes da Gerência de Arquivo e Microfilmagem;

 

XIX - 01(um) cargo de Oficial-Assistente de Gabinete da Presidência, símbolo TCE-01;

 

XX - 10 (dez) cargos de Atendente Especializado, Símbolo TCE-01;

 

XXI - 04 (quatro) cargos de Assistente, símbolo TCE-01;

 

XXII - 30 (trinta) cargos de Auditor Estadual de Infraestrutura, integrantes do Quadro de Pessoal Permanente do Tribunal de Contas do Estado da Bahia.

 

Art. 42 - As Funções Gratificadas, símbolo FG-03, em número de 59 (cinquenta e nove), existentes no Tribunal de Contas do Estado da Bahia, serão extintas à medida em que ficarem vagas.

Art. 43 - A função técnica de Líder de Auditoria, privativa de servidores do Grupo Ocupacional de Atividades Controladoras, de quantidades variáveis segundo a programação anual aprovada pelo Tribunal Pleno, terá regime remuneratório diferenciado, compatível com as suas responsabilidades, e seus ocupantes, vinculados tecnicamente aos Gerentes de Auditoria ou ao Chefe da Auditoria Interna, terão a responsabilidade de liderar equipes de trabalho encarregadas de planejar, executar, emitir relatório e proceder ao acompanhamento das respectivas recomendações de auditoria, na forma que dispuser Resolução do Tribunal Pleno.

 

Art. 44 - Os cargos de Diretor e Gerentes do Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC) só poderão ser providos após a extinção da autarquia Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC).

 

Art. 45 - Aos servidores efetivos à disposição de outros órgãos ou entidades da Administração Pública que retornarem às suas atividades no Tribunal de Contas do Estado da Bahia até o final de 2014 fica assegurada a percepção imediata de Parcela Variável pelo Exercício do Controle Externo correspondente à média dos servidores da unidade em que ficarem lotados.

 

Art. 46 - Os valores descritos nas tabelas anexas correspondem à data base de 31 de dezembro de 2013.

 

Art. 47 – Fica revogada a Lei nº 7.879, de 29 de junho de 2001.

 

Art. 48 - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, produzindo seus efeitos financeiros a partir de 01 de fevereiro de 2015.

 

PALÁCIO DO GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA, em 06 de novembro de 2014.

 

OTTO ALENCAR

Governador em exercício

 

Carlos Mello

Secretário da Casa Civil em exercício


ANEXO I

 

CARGOS DE PROVIMENTO EFETIVO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

 

ATIVIDADES CONTROLADORAS - CÓDIGO TCE-AC-600

 

CÓDIGO

CLASSE/ REFERÊNCIA

CATEGORIA

LOTAÇÃO NUMÉRICA

 

I - ATIVIDADES DE NÍVEL SUPERIOR

 

TCE-AC-601

ABCD

Auditor **

40

 

TCE-AC-602

ABC 1 a 6

Auditor Estadual de Controle Externo

249

 

 

TCE-AC-603

ABC 1 a 6

Auditor Estadual de Infraestrutura

30

 

 

II - ATIVIDADES DE NÍVEL MÉDIO

 

TCE-AC-604

ABC 1 a 6

Agente de Controle Externo*

158

 

 

 

TOTAL

477

 

 

ATIVIDADES ESTRATÉGICAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - CÓDIGO

TCE-AETI-500

 

 

CÓDIGO

CLASSE/ REFERÊNCIA

CATEGORIA

LOTAÇÃO NUMÉRICA

 

 

TCE-AETI-501

ABC 1 a 6

Analista de Sistemas

13

 

 

TCE-AETI-502

ABC 1 a 6

Analista de Suporte

7

 

 

 

ATIVIDADES DE NÍVEL SUPERIOR - CÓDIGO TCE-ANS-400

 

 

CÓDIGO

CLASSE/ REFERÊNCIA

CATEGORIA

LOTAÇÃO NUMÉRICA

 

 

TCE-ANS-401

ABC 1 a 6

Médico Perito***

06

 

 

TCE-ANS-402

ABC 1 a 6

Bibliotecário

02

 

 

TCE-ANS-403

ABC 1 a 6

Dentista

04

 

 

TCE-ANS-404

ABC 1 a 6

Jornalista

02

 

 

TCE-ANS-405

ABC 1 a 6

Taquígrafo****

09

 

 

TCE-ANS-406

ABC 1 a 6

Agente Público

20

 

 

 

 

TOTAL

43

 

 

 

ATIVIDADES TÉCNICAS E ADMINISTRATIVAS DE NÍVEL MÉDIO -

CÓDIGO TCE-ANM-300

 

CÓDIGO

CLASSE/ REFERÊNCIA

CATEGORIA

LOTAÇÃO NUMÉRICA

 

TCE-ANM-301

ABC 1 a 6

Operador de Microfilmagem*

01

 

TCE-ANM-302

ABC 1 a 6

Outros Profissionais de Nível Médio*

01

 

TCE-ANM-303

ABC 1 a 6

Assistente Administrativo*

23

 

TCE-ANM-304

ABC 1 a 6

Assistente de Plenário*

01

 

 

 

TOTAL

26

 

 

 

 

ATIVIDADES AUXILIARES - CÓDIGO TCE-AA-200

 

CÓDIGO

CLASSE/ REFERÊNCIA

CATEGORIA

LOTAÇÃO NUMÉRICA

 

TCE-AA-201

ABC 1 a 6

Motorista*

13

 

TCE-AA-202

ABC 1 a 6

Agente de Segurança*

5

 

TCE-AA-203

ABC 1 a 6

Auxiliar de Serviços Gerais*

26

 

 

 

TOTAL

44

 

(*) Cargos em extinção.     

(**) Cargos em extinção até o limite de 6.

(***) Cargos em extinção até o limite de 4.

(****) Cargos em extinção até o limite de 5.

 

CARGOS DO QUADRO SUPLEMENTAR DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

CÓDIGOS

CLASSE/ REFERÊNCIA

CATEGORIA

LOTAÇÃO NUMÉRICA

TCE-QSNS-001

ABC 1 a 6

Técnico de Nível Superior *****

05

TCE-QSNM-002

ABC 1 a 6

Técnico de Nível Médio *****

09

 

 

TOTAL

14

(*****) Cargos em extinção, conforme Lei Estadual nº 5.978, de 23/09/1990, art. 3º, parágrafo único.

 

 


ANEXO II

 

CARGOS DO QUADRO DE PESSOAL EM COMISSÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

 

CÓDIGOS

SÍMBOLO

DENOMINAÇÃO

QUANTIDADE

TCE-CPC-101

TCE-06

Diretor Administrativo

1

TCE-CPC-102

TCE-06

Secretário Geral

1

TCE-CPC-103

TCE-06

Superintendente Técnico

1

TCE-CPC-104

TCE-05

Assessor Especial

2

TCE-CPC-105

TCE-05

Assessor-Chefe

1

TCE-CPC-106

TCE-05

Assessor-Coordenador de Gabinete de Conselheiro

6

TCE-CPC-107

TCE-05

Chefe da Auditoria Interna

1

TCE-CPC-108

TCE-05

Chefe da Coordenação de Contabilidade

1

TCE-CPC-109

TCE-05

Chefe da Coordenação de Recursos Humanos

1

TCE-CPC-110

TCE-05

Chefe de Gabinete da Presidência

1

TCE-CPC-111

TCE-05

Coordenador de Controle Externo

7

TCE-CPC-112

 

TCE-05

Diretor do Centro de Estudos e Desenvolvimento de Tecnologias para Auditoria (CEDASC)

1

TCE-CPC-113

TCE-05

Diretor do Centro de Planejamento e Estudos Interdisciplinares para o Controle Externo (CEICE)

1

TCE-CPC-114

TCE-05

Diretor da Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa (ECPL)

1

TCE-CPC-115

TCE-05

Ouvidor

1

TCE-CPC-116

TCE-05

Chefe de Gabinete do Ministério Público

1

TCE-CPC-117

TCE-04

Assessor do Ministério Público

5

TCE-CPC-118

TCE-04

Assessor Técnico-Jurídico Adjunto

1

TCE-CPC-119

TCE-04

Assessor da Presidência

2

TCE-CPC-120

TCE-04

Assessor de Comunicação

1

TCE-CPC-121

TCE-04

Assessor de Gabinete de Conselheiro

18

TCE-CPC-122

TCE-04

Assessor Técnico-Jurídico

6

TCE-CPC-123

TCE-04

Assistente de Gabinete de Conselheiro

14

TCE-CPC-124

TCE-04

Assessor da Vice-Presidência

1

TCE-CPC-125

TCE-04

Gerente de Controle Processual

1

TCE-CPC-126

TCE-04

Gerente de Protocolo Geral

1

TCE-CPC-127

TCE-04

Gerente de Arquivo

1

TCE-CPC-128

TCE-04

Gerente de Biblioteca e Documentação

1

TCE-CPC-129

TCE-04

Gerente de Jurisprudência e Informações

1

TCE-CPC-130

TCE-04

Gerente de Orçamento e Finanças

1

TCE-CPC-131

TCE-04

Gerente de Liquidação de Despesas

1

TCE-CPC-132

TCE-04

Gerente de Administração

1

TCE-CPC-133

TCE-04

Gerente de Desenvolvimento e Aperfeiçoamento Institucional

1

TCE-CPC-134

TCE-04

Gerente de Planejamento Operacional

1

TCE-CPC-135

TCE-04

Gerente de Auditoria

28

TCE-CPC-136

TCE-04

Gerente de Cadastro, Avaliação e Pagamento de Pessoal

1

TCE-CPC-137

TCE-04

Gerente de Preservação Patrimonial

1

TCE-CPC-138

TCE-04

Gerente de Métodos, Técnicas e Normas para a Auditoria

1

TCE-CPC-139

TCE-04

Gerente de Desenvolvimento da Gestão do Controle Externo

1

TCE-CPC-140

TCE-04

Gerente de Desenvolvimento de Sistemas

1

TCE-CPC-141

TCE-04

Gerente de Informações Estratégicas e Apoio à Auditoria

1

TCE-CPC-142

TCE-04

Gerente de Infraestrutura

1

TCE-CPC-143

TCE-04

Gerente de Projetos e Modernização

1

TCE-CPC-144

TCE-04

Gerente de Serviços e Suporte aos Usuários

1

TCE-CPC-145

TCE-04

Gerente de Assistência ao Servidor

1

TCE-CPC-146

TCE-04

Secretário de Plenário

1

TCE-CPC-147

TCE-04

Assessor da Corregedoria

1

TCE-CPC-148

TCE-03

Chefe de Cerimonial

1

TCE-CPC-149

TCE-03

Chefe de Serviço de Taquigrafia

1

TCE-CPC-150

TCE-03

Chefe de Serviço de Controle de Decisões

1

TCE-CPC-151

TCE-03

Chefe de Serviço de Execução Orçamentária

1

TCE-CPC-152

TCE-03

Chefe de Serviço de Execução Financeira

1

TCE-CPC-153

TCE-03

Chefe de Serviço de Cadastro e Informações

1

TCE-CPC-154

TCE-03

Chefe de Serviço de Pagamento de Pessoal

1

TCE-CPC-155

TCE-03

Chefe de Serviço de Assistência Social

1

TCE-CPC-156

TCE-03

Chefe de Serviço de Material e Patrimônio

1

TCE-CPC-157

TCE-03

Chefe de Serviço de Compras

1

TCE-CPC-158

TCE-03

Chefe de Serviços Auxiliares

1

TCE-CPC-159

TCE-03

Assistente de Administração

7

TCE-CPC-160

TCE-03

Assistente Especializado de Biblioteca

1

TCE-CPC-161

TCE-03

Chefe do Serviço Médico

1

TCE-CPC-162

TCE-03

Chefe do Serviço Odontológico

1

TCE-CPC-163

TCE-03

Secretário de Câmara

2

TCE-CPC-164

TCE-03

Secretário de Conselheiro

8

TCE-CPC-165

TCE-03

Assistente da Superintendência Técnica

1

TCE-CPC-166

TCE-03

Assessor-Adjunto

6

TCE-CPC-167

TCE-03

Assistente da Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa

1

TCE-CPC-168

TCE-02

Assistente de Comunicação

2

TCE-CPC-169

TCE-02

Oficial de Gabinete da Presidência

1

TCE-CPC-170

TCE-02

Assistente-Adjunto da Escola de Contas Conselheiro José Borba Pedreira Lapa

1

TCE-CPC-171

TCE-02

Assistente da Corregedoria

1

TCE-CPC-172

TCE-01

Assistente de Arquivo

2

TCE-CPC-173

TCE-01

Assistente de Gabinete

11

TCE-CPC-174

TCE-01

Assistente de Protocolo

2


 

TCE-CPC-175

TCE-01

Oficial de Gabinete da Vice-Presidência

1

TCE-CPC-176

TCE-01

Oficial-Assistente de Gabinete da Presidência

1

TCE-CPC-177

TCE-01

Atendente Especializado

10

TCE-CPC-178

TCE-01

Atendente Especializado de Biblioteca

1

TCE-CPC-179

TCE-01

Assistente

07

 

 

TOTAL

205

 

 

FUNÇÃO GRATIFICADA

SÍMBOLO

DENOMINAÇÃO

QUANTIDADE

FG-03

Assistente de Serviço ******

59

     

 (******) Funções em extinção.


ANEXO III

 

DE 01.02.2015 ATÉ 31.01.2016

TABELAS DE VENCIMENTOS BÁSICOS DOS CARGOS EFETIVOS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES CONTROLADORAS

AUDITOR

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

6.455,71

B

1

6.870,59

C

1

7.104,35

D

1

7.404,38

 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES CONTROLADORAS

AUDITOR ESTADUAL DE CONTROLE EXTERNO E AUDITOR ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

5.051,91

A

2

5.117,22

A

3

5.138,55

A

4

5.180,71

A

5

5.251,23

A

6

5.324,52

B

1

5.375,33

B

2

5.453,76

B

3

5.534,99

B

4

5.619,66

B

5

5.678,03

B

6

5.768,32

C

1

5.862,29

C

2

5.926,68

C

3

6.026,94

C

4

6.095,02

C

5

6.202,19

C

6

6.313,50

 


 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES CONTROLADORAS

AGENTE DE CONTROLE EXTERNO

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

2.931,64

A

2

2.968,90

A

3

3.007,63

A

4

3.047,80

A

5

3.089,70

A

6

3.133,23

B

1

3.178,57

B

2

3.225,58

B

3

3.274,63

B

4

3.325,49

B

5

3.378,47

B

6

3.433,48

C

1

3.472,29

C

2

3.531,10

C

3

3.590,10

C

4

3.655,87

C

5

3.722,03

C

6

3.739,78

 

GRUPO DE ATIVIDADES ESTRATÉGICAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ANALISTA DE SISTEMAS E ANALISTA DE SUPORTE

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

5.051,91

A

2

5.117,22

A

3

5.138,55

A

4

5.180,71

A

5

5.251,23

A

6

5.324,52

B

1

5.375,33

B

2

5.453,76

B

3

5.534,99

B

4

5.619,66

B

5

5.678,03

B

6

5.768,32

C

1

5.862,29

C

2

5.926,68

C

3

6.026,94

C

4

6.095,02

C

5

6.202,19

C

6

6.313,50

 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES DE NÍVEL SUPERIOR

MÉDICO PERITO, BIBLIOTECÁRIO, DENTISTA, JORNALISTA, TAQUÍGRAFO, AGENTE PÚBLICO

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

3.684,57

A

2

3.749,88

A

3

3.771,21

A

4

3.813,37

A

5

3.883,89

A

6

3.957,18

B

1

4.007,99

B

2

4.086,42

B

3

4.167,65

B

4

4.252,32

B

5

4.310,69

B

6

4.400,98

C

1

4.494,95

C

2

4.559,34

C

3

4.659,60

C

4

4.727,68

C

5

4.834,85

C

6

4.946,16

 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES TÉCNICAS E ADMINISTRATIVAS DE NÍVEL MÉDIO

OPERADOR DE MICROFILMAGEM

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

1.536,32

A

2

1.550,05

A

3

1.564,00

A

4

1.578,32

A

5

1.592,88

A

6

1.607,82

B

1

1.623,00

B

2

1.638,50

B

3

1.654,27

B

4

1.670,49

B

5

1.686,99

B

6

1.703,75

C

1

1.721,01

C

2

1.738,48

C

3

1.756,30

C

4

1.774,52

C

5

1.793,21

C

6

1.812,23

 

OUTROS PROFISSIONAIS NÍVEL MÉDIO, ASSISTENTE ADMINISTRATIVO, ASSISTENTE DE PLENÁRIO

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

1.412,55

A

2

1.412,55

A

3

1.412,55

A

4

1.412,55

A

5

1.412,55

A

6

1.412,55

B

1

1.420,22

B

2

1.436,66

B

3

1.453,67

B

4

1.471,23

B

5

1.489,27

B

6

1.507,78

C

1

1.526,94

C

2

1.546,61

C

3

1.566,95

C

4

1.587,71

C

5

1.609,28

C

6

1.631,48

 


 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES AUXILIARES

MOTORISTA, AGENTE DE SEGURANCA, AUXILIAR DE SERVICOS GERAIS

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

1.311,12

A

2

1.311,12

A

3

1.311,12

A

4

1.311,12

A

5

1.311,12

A

6

1.311,12

B

1

1.318,42

B

2

1.334,08

B

3

1.350,28

B

4

1.367,00

B

5

1.384,18

B

6

1.401,81

C

1

1.420,06

C

2

1.438,79

C

3

1.458,16

C

4

1.477,94

C

5

1.498,48

C

6

1.519,62

 

QUADRO SUPLEMENTAR

TECNICO DE NÍVEL SUPERIOR

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

5.051,91

A

2

5.117,22

A

3

5.138,55

A

4

5.180,71

A

5

5.251,23

A

6

5.324,52

B

1

5.375,33

B

2

5.453,76

B

3

5.534,99

B

4

5.619,66

B

5

5.678,03

B

6

5.768,32

C

1

5.862,29

C

2

5.926,68

C

3

6.026,94

C

4

6.095,02

C

5

6.202,19

C

6

6.313,50

 

TECNICO DE NÍVEL MEDIO

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

2.931,64

A

2

2.968,90

A

3

3.007,63

A

4

3.047,80

A

5

3.089,70

A

6

3.133,23

B

1

3.178,57

B

2

3.225,58

B

3

3.274,63

B

4

3.325,49

B

5

3.378,47

B

6

3.433,48

C

1

3.472,29

C

2

3.531,10

C

3

3.590,10

C

4

3.655,87

C

5

3.722,03

C

6

3.739,78

 

SÍMBOLOS REMUNERATÓRIOS DO QUADRO DE PESSOAL EM COMISSÃO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

SÍMBOLO

VALOR

TCE 1

1.729,28

TCE 2

2.640,27

TCE 3

3.095,83

TCE 4

5.722,72

TCE 5

7.868,75

TCE 6

10.014,79

 


A PARTIR DE 01.02.2016

TABELAS DE VENCIMENTOS BÁSICOS DOS CARGOS EFETIVOS DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA BAHIA

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES CONTROLADORAS

AUDITOR

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

10.439,80

B

1

10.854,68

C

1

11.088,44

D

1

11.388,47

 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES CONTROLADORAS

AUDITOR ESTADUAL DE CONTROLE EXTERNO E AUDITOR ESTADUAL DE INFRAESTRUTURA

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

8.470,64

A

2

8.535,95

A

3

8.557,28

A

4

8.599,44

A

5

8.669,96

A

6

8.743,25

B

1

8.794,06

B

2

8.872,49

B

3

8.953,72

B

4

9.038,39

B

5

9.096,76

B

6

9.187,05

C

1

9.281,02

C

2

9.345,41

C

3

9.445,67

C

4

9.513,75

C

5

9.620,92

C

6

9.732,23

 

GRUPO OCUPACIONAL DE ATIVIDADES CONTROLADORAS

AGENTE DE CONTROLE EXTERNO

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

5.167,94

A

2

5.206,98

A

3

5.247,55

A

4

5.289,64

A

5

5.333,54

A

6

5.379,13

B

1

5.426,63

B

2

5.475,89

B

3

5.527,27

B

4

5.580,55

B

5

5.636,06

B

6

5.693,69

C

1

5.734,34

C

2

5.795,96

C

3

5.857,76

C

4

5.926,67

C

5

5.995,98

C

6

6.014,57

 

GRUPO DE ATIVIDADES ESTRATÉGICAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

ANALISTA DE SISTEMAS E ANALISTA DE SUPORTE

CLASSE

REFERÊNCIA

VENCIMENTO BÁSICO

A

1

8.470,64

A

2

8.535,95

A

3

8.557,28

A

4

8.599,44

A

5

8.669,96

A

6

8.743,25

B

1

8.794,06

B

2

8.872,49

B

3

8.953,72

B

4