• Dia da Mulher 17
  • Publica Bahia Contatos
  • Programa de Estágio
  • São João da Bahia

Centenário Egba

Foto Fachada PB

 Foto: João Alvarez

Cem anos não são 100 dias, sugere o dito popular. Em outras palavras, completar um centenário de existência é uma tarefa que poucos conseguem comemorar. E poucas empresas têm tanto a contar sobre sua história como a Egba tem em seu centésimo aniversário.
Do início de seu funcionamento, em 7 de setembro de 1915, no sobrado construído para ser sua sede, na Rua da Misericórdia, Centro Histórico da cidade, aos dias de hoje, a Empresa Gráfica da Bahia passou por diversas fases, ora refletindo o glamour da sua época, ora integrada à efervescência cultural do momento, mas sempre acompanhando o desenvolvimento e os avanços tecnológicos que a levaram a modernizações constantes.
Em 1916, o primeiro diretor técnico da recém-criada Imprensa Oficial do Estado, Arthur Arezio da Fonseca, já convidava os leitores do Diário Oficial do Estado a “atravessar o largo portão de ferro em estilo moderno”, a galgar “os degraus, com balaustres de ferro e mármore branco” da sua primeira sede. A partir desta década, este órgão viria a ser espaço disputado por acadêmicos para vagas de revisor na “Imprensa”, a exemplo de Thales de Azevedo, Jayme Junqueira Ayres, Xavier Marques e Mílton Santos; este, presidente da Egba na década de 1960.
As décadas de 1980 a 2010 foram decisivas para a modernização da Egba, que informatizou sua produção, introduziu novas tecnologias, implantou seu planejamento estratégico, criou novos serviços, capacitou seus funcionários, buscou e conquistou a certificação de seus serviços pela ISO 9001.
Tudo isso, sem esquecer seu papel social, realizando diversos projetos e desenvolvendo ações voltadas à comunidade da Fazenda Grande do Retiro, onde está instalada há mais de quatro décadas. E de onde foi extraída a inspiração para um amplo trabalho de fotografia documental registrado na capa e nas páginas internas desta agenda, dentro do projeto Egba+100.
Por tudo isso, parabéns à Egba e, em especial, a seus funcionários, que, ao longo de 100 anos, fizeram desta empresa motivo para se orgulhar.


Linha do tempo:

1915 – Em 7 de setembro, nasce a Imprensa Oficial do Estado. No mês seguinte, dia 30, a entidade publica a primeira edição do Diário Oficial do Estado da Bahia, com 60 páginas. A primeira sede ficava localizada na Rua da Misericórdia, Centro da cidade.
1923 – É lançada edição especial do Diário Oficial, com 583 páginas, em comemoração ao Centenário da Independência da Bahia, uma das relevantes publicações sobre a história baiana.
Capa primeiro DOE
1925 – Paralelamente à função de órgão oficial de divulgação, o Diário Oficial publicou, a partir desse ano, artigos e trabalhos sobre economia, política e questões sociais baianas, assinados por notoriedades como Teodoro Sampaio, Pedro Calmon e Thales de Azevedo.
1931 – A Imprensa Oficial é transferida para nova sede, na Praça Municipal.
1959 – É lançado o Panorama do Conto Baiano, impresso no parque gráfico da Imprensa oficial da Bahia, reunindo contos de autores como João Ubaldo Ribeiro, Glauber Rocha, Jorge Amado.
1960 – A Egba editou e publicou, até 1967, oito edições da Revista da Bahia, que contava com autores do rico cenário cultural baiano da época, desempenhando papel importante dentro das áreas de literatura, cinema, teatro e artes plásticas.
1972 – A Lei n. 3.037, de 3 de outubro, transformou a Imprensa Oficial da Bahia em Empresa Gráfica da Bahia – Egba, empresa pública com personalidade jurídica de direito privado, capital exclusivo do Estado, patrimônio próprio, autonomia administrativa e financeira.
A rotativa Frankenthal, máquina de fabricação alemã responsável pela impressão da edição n. 01 do Diário Oficial do Estado, é desativada. Hoje, se encontra no Museu de Ciência e Tecnologia da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).
No mesmo ano, a Imprensa Oficial é transferida para a Rua Mello Moraes Filho, 189, Fazenda Grande do Retiro, onde funciona até hoje.

Fachada Egba

1980 – Egba instala, em seu Parque Gráfico, moderno sistema de fotocomposição, que a coloca em posição de destaque nessa área em todo o país. A impressão do livro Pregação do papa João Paulo II no Brasil), neste ano, é um marco do desenvolvimento da área industrial da empresa, confeccionado em 72 horas.
1987 – A revista da Bahia volta a ser editada pela Egba, circulando até a 42ª edição.
1995 – Inicia-se a informatização da pré-impressão, implantação da editoração eletrônica, uso de softwares gráficos, digitalização de documentos, guarda de documentos em CD.
2002 – Um mérito para a Egba: a empresa é a primeira imprensa oficial do país a obter o Certificado de Qualidade ISO 9001 para produtos e serviços.
2007 – A Egba adquire uma impressora digital, com tecnologia de ponta e perfeita para impressão de pequenas tiragens, com qualidade e preços proporcionais ao volume. No mesmo ano, implanta a versão virtual do Diário Oficial do Estado.
Igen
2009 – Um novo serviço, na linha digital, é implantado pela empresa: o de Certificação Digital, permitindo que um documento eletrônico, que identifica pessoas e empresas no mundo digital, comprove sua autenticidade da identidade nos serviços on-line, coibindo fraudes. Em novembro, a Egba é designada Autoridade de Registro do serviço.
Token
2010 – A implantação da tecnologia CtP (Computer to plate: direto do computador para a chapa), um sistema que elimina subetapas do processo de impressão, como o fotolito, suprimindo processos manuais de montagem de filme e gravação, torna todo o processo de impressão na Egba mais simples, rápido e com qualidade.
CTP
2011 – Cinquenta e um jovens carentes da comunidade da Fazenda Grande do Retiro recebem certificados de capacitação no curso de Inclusão Digital, promovido pela Egba, como parte de seus projetos de Responsabilidade Social Empresarial.

Inclusão Digital
2012 – Empresa completa dez anos de Certificado ISO 9001, demonstrando que continua buscando aperfeiçoar o cumprimento da norma com a melhoria do atendimento ao cliente, capacitação profissional e investimento em tecnologia.
2014 – A Egba conclui a construção dos dois galpões com 3 mil metros quadrados destinados ao Serviço de Guarda, Arquivo de Segurança, Digitalização e Microfilmagem de Documentos.

Galpão
2015 – Neste ano, a Egba completa seu centenário, com uma trajetória que lhe confere credibilidade, austeridade, profissionalismo e qualidade. Para comemorar o aniversário, a empresa criou o Projeto Egba+100, uma campanha institucional que envolve o lançamento do livro de fotografias Fazenda Grande do Retiro: um passeio pelo bairro, com exposição itinerante que leva o mesmo nome.
Na área de Responsabilidade Social Empresarial, a Egba entregará neste ano à comunidade da Fazenda Grande do Retiro seu maior feito: a primeira praça do bairro, com 12 mil m2 de área, comportando campo de futebol, quadra poliesportiva, parque infantil, pista de corrida, pista de skate, galpão cultural, edifício para comportar biblioteca e salas de aula, além de área verde.
Praça DFGR
Recomendar esta página via e-mail: